15º Aniversário da CPV | 19 janeiro 2022

19/01/2022 |
15º Aniversário da CPV | 19 janeiro 2022

 

“Quem sabe faz a hora não espera acontecer” de Eduardo Graça, cantou Eugénio Fonseca na tomada de Posse dos novos Orgãos Sociais da CPV, durante a comemoração dos 15 anos!

 

Parabéns, pelo reconhecimento que a CPV tem conseguido alcançar, a nível institucional e também na promoção da importância do - Ser Voluntário - é José Teixeira do Corpo Nacional de Escutas quem o afirma, o lugar da CPV no mundo da Economia Social é robusto, já são 41 as entidades confederadas e a perspetiva é abraçar 100 associadas em 2027.

A proximidade cada vez maior com as confederadas está no horizonte da CPV, de momento representada no Porto, em Coimbra, em Évora e em S. Miguel, futuramente fazer-se presente em todos os distritos do país.

José Teixeira interroga - quantos são os voluntários que acolhem causas da sociedade civil no nosso país? Mais de meio milhão de pessoas, o que por si justifica a criação da figura do Provedor do Voluntariado, uma conquista da CPV. Mas há mais, diz o representante do Corpo Nacional de Escuta: não é só por aqui, em Portugal, que a Confederação tem feito o seu trabalho de advocacia, em 2010 aderiu ao Centro Europeu de Voluntariado, do qual foi vice-presidente por dois mandatos.

A força e credibilidade do ato de fazer voluntariado confirma-se pela existência de uma lei, que já remonta a 1998 e que se encontra em revisão num trabalho da CPV em parceria com a CASES. A força e credibilidade do - Ser voluntário - espelhado num troféu, seria uma nuvem fugidia noutros tempos, à data de hoje ergue-se o Troféu Português do Voluntariado, uma iniciativa bandeira da CPV. Destaca ainda José Teixeira, que entre os objetivos estratégicos para os próximos anos, existirão novos desafios como entidade formadora, a renovação do protocolo com o GRACE e a representação fora da Europa, com o propósito de estreitar os laços com os PALOP.

Trabalhar para o bem-estar de muitos é a madrugada de um Portugal mais social, disse Eugénio Fonseca, da associação Dignitude. Na sua palestra recordou o papel catalisador de Acácio Catarino para a promoção deste bem-estar por via do bem-fazer. Dar asas aos talentos e pô-los a render, relembra o Presidente da Direção da CPV:

o voluntariado é uma das expressões mais evidentes de uma sociedade democrática, com uma sociedade civil ativa e madura, mais cooperante e participativa no desenvolvimento do bem-estar coletivo. Os voluntários são protagonistas do livre exercício da cidadania.

Os representantes dos novos órgãos sociais para o triénio 2022-2025:

- Presidente da Direção: Associação Dignitude, Vice-Presidente: Instituto S. João de Deus, Tesoureiro: AFID, Secretário: Corpo Nacional de Escutas, Vogais: Associação Mutualista Montepio, Instituto das Irmãs Hospitaleiras e Serve The City.

- Presidente da Assembleia Geral: Cáritas e Secretários: Confederação das Coletividades de Cultura, Recreio e Desporto e Médicos do Mundo.

- Presidente do Conselho Fiscal: Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal e Vogais: Plataforma Saúde em Diálogo e Federação Nacional de Dadores de Sangue.