header mobile
  • Início
  • Noticias
  • Governo defende aposta “muito grande” no setor agroindustrial

Governo defende aposta “muito grande” no setor agroindustrial

0 5

Votação deste artigo: 0 Votos

A ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, defendeu hoje [7 Outubro 2020] que deve ser feita uma “aposta muito grande” no setor agroindustrial para contribuir para a autossuficiência nacional e para a competitividade, ao mesmo tempo que se fomenta o desenvolvimento do interior.

 

“Nós temos de fazer uma aposta muito grande no setor da agroindústria e, por essa via, valorizar a agricultura. A pandemia mostrou-nos que temos de ser autossuficiente e que temos de ser competitivos. Ou seja, para além de produzirmos para consumir, temos de produzir também para exportar”, afirmou.

Ana Abrunhosa falava no Fundão, distrito de Castelo Branco, à margem de uma visita que realizou a uma plantação de amendoeiras da empresa Vera Cruz, que hoje assinalou simbolicamente a colheita das primeiras amêndoas, um ano antes do previsto.

Iniciado em 2017, o projeto estende-se entre os concelhos do Fundão e de Idanha-a-Nova e prevê um investimento global de cerca de 50 milhões de euros, a concretizar em diferentes fases e integrando a criação de uma unidade fabril de descasque de amêndoa.

Com 20 postos de trabalhos diretos e permanentes já criados, a empresa garante estar empenhada na “valorização social e económica da região”, sustentada em princípios como “smart farming e inovação”, “visão empresarial”, “sustentabilidade” e “responsabilidade social”, como apontou Filipe Rosa, um dos sócios do grupo “Vera Cruz”.

O facto de associar agricultura, indústria, inovação, tecnologia e conhecimento foi destacado por Ana Abrunhosa, que salientou que este projeto é um bom exemplo do caminho a seguir ao nível da coesão territorial e da diversificação da base económica dos territórios do interior.

“Estes territórios são agricultura, são floresta, são turismo, mas também têm de ser mais do que isso”, apontou, frisando que estas empresas também contribuem para a atração de jovens qualificados para os territórios.

A governante sublinhou ainda que a tecnologia é um “grande aliado” para a agroindústria e garantiu que o Governo vai “acarinhar” os projetos que integrem ciência, tecnologia e conhecimento como forma de contribuir para a valorização de recursos e para a criação de valor da economia.

“A competitividade ganha-se em diferentes domínios, nomeadamente introduzindo ciência, tecnologia e conhecimento nestas atividades económicas, dando escala a estas atividades e contribuindo para a diversificação da atividade económica”, frisou.

Segundo sublinhou, o Governo tem, até final do ano, avisos abertos dedicados ao investimento inovador e aos territórios do interior, além dos apoios à contratação de recursos humanos qualificados e fixação de pessoas.

Presente na cerimónia, o presidente da Câmara do Fundão, Paulo Fernandes, sublinhou a importância de o concelho estar a conseguir atrair investimento e a diversificar as apostas, nomeadamente dentro da fileira da agricultura, dado que tal contribuirá para “reduzir os riscos” inerentes à atividade.

(Agência LUSA)

 

Financiado Por

financiadores02financiadores03financiadores04

Redes e Parcerias

Parceiro1 CasesParceiro2 RipessParceiro3 CNESParceiro4 ComunaCarta Portuguesa para a Diversidade