header mobile

Eleições europeias em debate

0 5

Votação deste artigo: 0 Votos

No dia 12 de abril, a Animar participou ao Seminário as Eleições Europeias e o futuro da Europa, organizado pela EAPN - Rede Europeia Anti-Pobreza Portugal, que decorreu no Atmosfera M.


Para a  REAPN, nestas eleições é importante lutar por uma Europa Livre de Pobreza (#EUPovertyFree) e uma governação que garanta sistemas de protecção social e políticas macroeconómicas que combatam as desigualdades, a pobreza que atinge muitos dos que trabalham, e garantam o bem-estar. Foi com esta perspectiva que a RAPN realizou este Encontro, reunindo à mesma mesa candidatos e representantes dos diferentes partidos políticos, promovendo um debate aberto com representantes de diferentes sectores da sociedade civil, parceiros sociais e cidadãos/ãs.

O Seminário abriu-se com as intervenções do Padre Jardim Moreira, Presidente da EAPN Portugal e de António Tomás Correia, presidente da Associação Mutualista Montepio, que referiram o que consideram ser a falha do sistema político e económico europeu (22,5% de cidadãos da UE em risco de pobreza e exclusão social) e limitações do atual modelo de desenvolvimento Europeu. 

Por outro lado, Pedro Valente da Silva, Chefe do Gabinete do Parlamento Europeu em Portugal, mencionou os importantes compromissos assumidos pela UE em matéria de Direitos Sociais e Desenvolvimento Sustentável, assumidos pela UE como objetivos da Estratégia Europa 2020, que, em seu entender, constituem um primeiro passo para garantir mudanças significativas na vida das pessoas que vivem e situação de pobreza.

O debate, moderado da Sandra Monteiro, diretora da edição portuguesa do jornal Le Monde Diplomatique, contou com a participação de Paulo Sande (Aliança), Marisa Matias (Bloco de Esquerda), Filipe Anacoreta Correia (CDS/PP), João Pimenta Lopes (PCP), Tomás Pereira (Livre), Maria Manuel Leitão Marques (PS) e Paulo Ribeiro (PSD), representantes dos partidos concorrentes à eleições para o Parlamento Europeu.

No seio da UE a pobreza é normalmente medida em função dos rendimentos médios relativos, podendo estes valores ser desagregados por idade, sexo, tipo de agregado familiar e situação profissional, dando assim uma visão mais detalhada sobre os sectores da população mais atingidos pela pobreza.

Este foi o desafio lançado aos partidos pelos representantes das entidades da Sociedade Civil presentes no debate, que chamaram a atenção para o facto da exclusão social atingir particularmente grupos específicos da população, como as crianças, os idosos, os desempregados (em especial os de longa duração) e as mulheres.

A Tânia Gaspar, da Animar, introduziu o tema da Economia Social e da necessidade de se criar instituições e instrumentos legislativos que garantam o desenvolvimento local, minimizando-se assim os efeitos indesejados da globalização.


epn

 

Financiado Por

financiadores02financiadores03financiadores04

Redes e Parcerias

Parceiro1 CasesParceiro2 RipessParceiro3 CNESParceiro4 ComunaCarta Portuguesa para a Diversidade