header mobile
  • Início
  • Noticias
  • A gastronomia portuguesa como bem imaterial do património cultural

A gastronomia portuguesa como bem imaterial do património cultural

0 5

Votação deste artigo: 0 Votos

A gastronomia portuguesa foi elevada a bem imaterial do património cultural de Portugal, por Resolução do Conselho de Ministro nº 96/2000, publicado no DR nº 171/2000, Série I-B de 26 de Julho de 2000. Dezoito anos passados muito, ainda, está por realizar para elevar a gastronomia a Porta Estandarte necessário à valorização deste produto turístico de excelência.

 A-gastronomia-portuguesa-como-bem-imaterial-do-patrimonio-cultural-002-copyÉ inquestionável que a gastronomia portuguesa é uma marca identitária das 11 províncias individualmente e das duas regiões autónomas, devido à qualidade e especificidades dos produtos de cada território, que deve ser valorizada e promovida como produto diferenciador do vasto património intangível existente em cada concelho e ao saber cozinhar das cozinheiras e cozinheiros que durante séculos criaram e recriaram muitas refeições de prato, muitos caldos e muitos doces.

O território do Cávado, no qual a ATAHCA, enquanto associação de desenvolvimento local representa, tem implementado políticas de desenvolvimento rural integrado, dando a conhecer este património imaterial que se diferencia pela riqueza dos seus produtos frescos de época, pela qualidade das carnes das raças autóctones e pela excelente qualidade da sua água, considerada indispensável no resultado final dos cozinhados.

Há necessidade de inventariar, com rigor, as refeições de prato, os caldos, a doçaria – conventual, das romarias e tradicional – e os presigos.

Ao promover os territórios nunca poderão ser esquecidos os seus produtos endógenos, os seus produtos transformados, os inúmeros sabores inconfundíveis que as cozinheiras e os cozinheiros conseguem pelo saber fazer com tradição, pela qualidade dos produtos e iguarias e pela confeção lenta de cada prato, que o torna primorosamente delicioso.

Comemorar este dia, será relembrar as nossas avós, os nossos antigos cozinheiros, as nossas cozinheiras das festividades e dos casamentos e todos aqueles e aquelas que deram e dão o seu melhor para manter este valor cultural que é uma marca da nossa identidade: a gastronomia portuguesa como património imaterial da humanidade.

Para registo e “aguçar” a vontade de visitarem o Jardim do Norte de Portugal e degustarem algumas das suas iguarias, transcrevem-se alguns dos sabores a descobrir no Entre Douro e Minho:

 Caldo Verde
Sopa à Lavrador
Sopa de Nabos de Esposende
Sopa de Castanha Pilada
Canja de Galinha
Sopa de Peixe
Sopa de Solhas Secas de Lanhelas
Sopa de Lampreia
Bolinhos de Bacalhau
Pastilhas à Terras de Bouro
Pataniscas Minhotas
Arroz de Frango
Capão à Moda de Freamunde
Galinha Mourisca
Arroz de Pato
Favas à Moda de Amarante
Arroz das Lavradas
Galinhola
Broa de Milho de Terras de Bouro
Bola do Forno da Broa (Bica)
Pastéis de Farinha de Milho
Bolo da Telha
Bolo da Sertã
Bolo de Pão de Milho com Carne
Bolinhos de Farinha Milha
Feijão chícharo com bolinhos de bacalhau
Papas de Milho
Milhos de Ribeira de Pena
Folar de Carne
Fogaça da Feira
Água de Unto
Cabrito Assado à Serra d’Arga
Sarapatel de Cabrito da Serra de Arga
Cabrito à S. José da Póvoa de Lanhoso
Carne de Cabrito de Castro Laboreiro
Almondegas de Alho e Galinha
Cordeiro à Moda de Monção
Chanfanada
Bifes de Vitela à Moda do Minho
Vitela à Moda de Fafe
Arroz de Cabeça de Vitela
Tripas à Moda do Porto
Cabidela de Vaca
Cabidela de Cabrito
Arroz de Sarrabulho de Ponte de Lima à Moda de Clara Penha
Rojões à Moda de Clara Penha
Tripa Enfarinhada
Chouriça de Verde
Belouras
Papas de Sarrabulho de Vila Verde
Verde de Baião
Sarrabulho de Bouro
Sarapatel à Minhota
Arroz da Matança
Cozido Minhoto
Cozido de Bouro
Lampreia à Bordalesa
Arroz de Lampreia à Moda de Entre-os-Rios
Lampreia Seca Frita
Angulas com Toucinho
Sável à Tanoeiro
Sável de Escabeche à Moda do Minho
Debulho de Sável
Tainha à Portuense
Trutas do Rio Coura
Escabeche de Trutas
Trutas Fritas de Bouro
Sardinha no Enguiço
Sardinhas Escaladas
Polvo com Arroz
Pescada à Poveira
Arroz de Peixe de Vila do Conde e Esposende
Bacalhau à Zé do Pipo
Bacalhau à Narcisa
Bacalhau à Margarida da Praça
Bacalhau à Gomes de Sá
Bacalhau à ATAHCA
Bacalhau Espirituoso
Sopa Dourada das Freiras de Santa Clara
Sopa Seca de Terras de Bouro
Fidalguinhos de Braga
Foguetes de Amarante
Castanhas de Ovos de Arouca
Pudim de Priscos
Tortas de Guimarães
Queijadinhas de Barcelos
Viuvinhas dos Remédios
Fartens
Doces de Milho
Doce Branco
Leite Creme Moda do Minho
Formigos
Aletria com Ovos
Arroz Doce Minhoto
Rabanadas
Pão de Ló de Margaride

ATAHCA, 26 de Julho de 2018

 

Financiado Por

financiadores02financiadores03financiadores04

Redes e Parcerias

Parceiro1 CasesParceiro2 RipessParceiro3 CNESParceiro4 ComunaCarta Portuguesa para a Diversidade