header mobile

Opus Gay denuncia vandalização de monumento

0 5

Votação deste artigo: 0 Votos

O monumento contra a LGBTIfobia inaugurado no ano passado, em Junho, no dia da Marcha do Pride, no Príncipe Real, da autoria do escultor Rui Pereira, (ver em baixo) foi na noite passada depradado e vandalizado, com pintadas e grafitis, que destroem o seu significado.

 

Trata-se de um vandalismo homofóbico que não pode deixar de ser denunciado.
Comunicámos logo às entidades camarárias competentes, e à Junta de Freguesia da Misericórdia, que tutela o Jardim do Príncipe Real.
Referimos-lhe de novo, que o monumento debaixo de uma árvore, sem poder ser visto da rua e sem iluminação nenhuma, está numa situação que favorece e facilita estes actos depradatórios, atentatórios do Património Urbano da cidade, e da memória histórica de um grupo social, que foi violentamente perseguido em Portugal, mas que soube sobreviver graças à sua tenacidade secular.
Esperamos agora que as autoridades competentes recuperem, rapidamente, o monumento, e tomem medidas necessárias para evitar estas depradações e atentados aos Direitos Humanos.

Hoje a cidade de Lisboa é apontada internacionalmente como um exemplo de tolerância e boa convivência entre tod@s. O momento escolhido do Festival da Eurovisão em Lisboa, não pode ser ignorado.
Não deixemos que se perca este valor.

António Serzedelo
Presidente da OPUS GAY
Editor da Rádio Digital Vidas Alternativas, radio Zero, e Megaweb on line.
Vereador Suplente pelo PS, independente, na CM Lisboa e Junta de Freguesia de Arroios
Membro da Direcção da Associação República e Laicidade.

monumento

 

Financiado Por

financiadores02financiadores03financiadores04

Redes e Parcerias

Parceiro1 CasesParceiro2 RipessParceiro3 CNESParceiro4 ComunaCarta Portuguesa para a Diversidade