header mobile

As crianças e o Bullying: A relação do estatuto socioprofissional dos pais e a diferença entre géneros

0 5

Votação deste artigo: 0 Votos

As-criancas-e-o-bullying001Título: As crianças e o Bullying: A relação do estatuto socioprofissional dos pais e a diferença entre géneros
Autor: Edite Paula Toste Coelho Pinto Ferreira
Edição: UAL
Ano: 2018
105 páginas

Dissertação apresentada para a obtenção do Grau de Mestre em Psicologia Clínica e de Aconselhamento.

Resumo
O bullying é bastante prevalente no meio escolar e esses comportamentos têm sido muito associados ao estatuto socioprofissional que é uma das variáveis do estatuto socioeconómico. O objetivo desta investigação é contribuir para um maior conhecimento sobre os comportamentos de bullying em crianças do 1º ciclo do ensino básico e compreender a associação entre o bullying, a diferença de género e o estatuto socioprofissional dos pais. O nosso estudo segue uma metodologia quantitativa, com um desenho de investigação observacional analítico, descritivo e comparativo. Este estudo teve como principal objetivo analisar a existência de relação entre o estatuto socioprofissional dos pais, as diferenças de género e a existência ou não de comportamentos de bullyingg numa amostra de 1160 crianças, com idades compreendidas entre os 6 anos e os 11 anos de idade, do 1º ciclo do ensino básico, público e privado, dos distritos de Lisboa e Leiria. O instrumento utilizado para a recolha de dados foi o Questionário Bullying – A agressividade entre crianças no espaço escolar 1º, 2º e 3º Ciclos, adaptado para a língua portuguesa e validado para a população escolar do questionário de Dan Olweus (1989) por Beatriz Pereira e Ana Tomás UM/CEFOPE, em 1994 e revisto por Beatriz Pereira e Fernando Melim em 2010 UM/IE e um Questionário Sociodemográfico. Os resultados indicam a existência de prevalência de comportamentos de bullying, quer em escolas públicas, quer em escolas privadas e apresenta um aumento da frequência da vitimização em relação a outros estudos realizados em Portugal. No que se refere à relação entre o estatuto socioprofissional dos pais e os comportamentos de bullying, os nossos resultados mostram que, quando a criança é agressora, o nível socioprofissional do pai e da mãe é elevado e quando a criança é vítima, o nível socioprofissional da mãe é baixo e elevado e o nível socioprofissional do pai é médio-baixo. Quanto à diferença entre o género e o nível dos comportamentos de bullying, os resultados apresentam maiores valores percentuais para os meninos na forma direta e para as meninas na forma indireta e relacional.

 

Recomendamos

Financiado Por

financiadores02financiadores03financiadores04

Redes e Parcerias

Parceiro1 CasesParceiro2 RipessParceiro3 CNESParceiro4 ComunaCarta Portuguesa para a Diversidade