Iniciativa Animar | Cidadania: como a aprender sem a viver? | 3 de julho

03/07/2021 |

 

Tendo por objetivo assinalar o terceiro aniversário da implementação da Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania (ENEC), realizaram-se mensalmente, de outubro a abril, vários eventos online que contribuíram para a exemplificação da operacionalização de alguns dos domínios que a Estratégia contempla.

 

Venha participar nesta iniciativa que pretende incentivar uma reflexão mais abrangente em torno de dimensões consideradas fundamentais para uma apropriação plena da ENEC, enquanto componente fundamental da formação integral da pessoa.

Manhã - E se o projeto educativo saísse do papel?
No universo da Educação, assumem-se como determinantes os Projetos Educativos, mais do que os Projetos Pedagógicos, e os Regulamentos Internos. Mas será que estes documentos são realmente DETERMINANTES? Será que, no momento próprio, as famílias se preocupam em estudar bem aqueles documentos orientadores? E, por outro lado, sentir-se-á a comunidade educativa representada neles?

Sabemos que poucos são os que realmente se preocupam em conhecer aqueles textos, avaliando e fazendo escolhas assentes nas perceções que constroem sobre a instituição que procuram para os/as seus/suas educandos/as.

Aprofundando o conhecimento sobre vários Projetos Educativos, de várias escolas, raramente conseguimos reconhecer neles a integração da Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania. Assumem-se, na sua generalidade, como programas de desenvolvimento inovadores, mas perseguindo sempre uma educação global, determinando procedimentos e atuações futuras. São mesmo idílicas e tantas vezes utópicas ambições, que ficam mesmo bem quando registadas sob a capa de documento orientador da Escola.

O grande objetivo desta mesa-redonda é refletir em torno das seguintes questões: E se o projeto educativo saísse do papel? Como viver uma Cidadania consciente para realmente a apreender?

Tarde - Sucesso: números ou Pessoas?
Comummente olhamos para o sucesso como sucesso de carreira, de riqueza e de rendimento. Mas as gerações atuais olham para o sucesso como realização de propósito no trabalho, alinhando o impacto positivo que querem deixar no mundo com a sua carreira profissional; ou encaram o sucesso como a forma como usam os recursos do planeta e a exigência de transparência e sustentabilidade enquanto consumidores/as e cidadãos e cidadãs; ou ainda como a conciliação da vida profissional com a vida pessoal e social.

O grande objetivo desta mesa-redonda é contribuir para desconstruir o paradigma de sucesso, ainda muito assente no sucesso académico: escola mais exigente > maior probabilidade de acesso ao ensino superior > maior acesso a emprego e emprego que paga bem. Procura-se para um paradigma de sucesso assente num cidadão agente de mudança para o bem comum, que se sente realizado no seu propósito e é realizando o seu propósito e projeto de vida que se sustenta a si e à sua família.

Trazendo a voz de diferentes intervenientes da comunidade educativa e dando espaço a todas as pessoas que se sintam motivadas a fazer parte deste diálogo reflexivo, vamos questionar e ouvir para construir.
Estudantes, docentes, famílias, pessoal não docente, trabalhadores/a e voluntários/as de organizações da sociedade civil, cidadãos e cidadãs, contamos convosco!

Para participar inscreva-se AQUI

Ficheiros:

PROGRAMA (1 MB)